“O tempo não para”, como diria Cazuza em sua célebre frase. Estudar, trabalhar, pagar contas, dinheiro? Precisamos do tempo, procuramos a falta, mas falta o que? O que falta em você? Dá tempo? O que estamos pensando? O que estamos curtindo? Estamos curtindo? O presidente? Que presidente? Que democracia? Economia? Você entende? Nem eu, nem ele, nem seu amigo. Eu entendo de brigas, de compartilhamentos e de ódio com o cara que eu nunca vi na vida.

Na real? Eu procuro afeto. Abraço minha mãe, ou minha filha que eu não tenho tempo pra abraçar porque eu preciso trabalhar. Tempo, que tempo? Não tenho relógio. Ninguém usa mais relógio porque tem celular. Celular? Tá ligado com um monte de janelas abertas. Liga pra mim? Pra que? Tentei ligar mas não achei como, porque meu celular tem tanta função. Qual a minha função no Mundo? Fico triste, sou infeliz.

Minha família não lembra de mim. Sou curtido, me segue? Mas é só por aqui. Eu não quero ficar na merda desse escritório. Namastê? Gratidão? Ajuda. Porém, eu estou fugindo desse Mundo, vou beber umas cervejas, fazer sexo com desconhecidas, me masturbar e… ? Tédio. Estou entediado, ligo a tv e vejo a minha cidade destruida. Não tenho arma, mas se tivesse já tinha matado um. Ou… Me matado?

O índice de suicídio aumentou… Cade o dinheiro da pensão? Minha mulher tá cobrando, mas ela tá certa eu xingo ela, mas ela tá certa. Meu filho pede um videogame e eu compro. Parcelo em 10 vezes sem juros e vou pagar até existir. Ele fica feliz, cresce, larga o videogame. O tempo passa, esqueceu? Ah, é mesmo, eu não tenho tempo, como vou lembrar dele?

A mulher que eu gostava me curtiu no Instagram. E daí, ela tá noiva, criei expectativas, mas ela está noiva e curtiu pela paisagem. Enquanto isso, espero a outra mulher me responder no WhatsApp, mas ela só responde 10 segundos depois. É muito tempo enquanto bebo umas cervejas, dormi e só li quando estava escrevendo artigo para a minha faculdade e que eu preciso acordar cedo pra estudar.

Não dormi corrigindo minha monografia. Perdi tempo? Que tempo? Estava pensando no meu sonho de me formar. O tempo passou, me formei. Festa e pirotecnia! O tempo passa e como eu não arrumei emprego e preciso alimentar os meus dois filhos, vou transformar meu carro num Uber. Não tenho estratégia de vida. Não tenho emprego. Aliás, “emprego” que palavra arcáica. Hoje temos trabalho! Ou não temos?

 

Estou doente e vou enlouquecer.

RECOMENDAMOS


Daniel Velloso
Daniel Velloso nasceu em 1985 é escritor, amante de Filosofia e Psicologia, começou a ler Nietzsche com 15 anos e é fã de Zygmunt Bauman. Apaixonado pelo Mar, sua grande inspiração.

COMENTÁRIOS