“São Bento criou uma regra, e a regra que eu queria trazer aqui que para mim tinha que estar no alto de toda a câmara municipal, toda a escola, toda cidade, toda a prefeitura, toda secretaria, toda a família, é a regra de número 34.

O monge que desobedecer essa regra que eu vou dizer agora é mandado embora da ordem, não tem direito a estabilidade, e eu acho que essa deveria ser uma regra presente em todas as áreas.

A regra 34 de São Bento diz: É proibido resmungar, não é proibido discutir, não é proibido debater, não é proibido discordar, é proibido resmungar. Sabe gente que só resmungando em vez de agir? Gente que passa o tempo todo amaldiçoando a escuridão em vez de acender vela?

Aliás, a frase predileta do resmungão é: “Que horror! Alguém tem que fazer alguma coisa!” É proibido resmungar! Não é proibido discutir, debater ou discordar.

Mas o resmungão é medíocre, aliás todo resmungão é vagabundo, e a melhor maneira de não precisar fazer nada é acreditar que nada pode ser feito.

Por isso todo vagabundo tem uma característica, é pessimista, aliás é tão vagabundo que nem chama a si mesmo de pessimista, chama-se de realista, porque a melhor maneira de não precisar se mexer é achar que não há nada que vale mexer.

Por isso todo vagabundo é pessimista e prefere acreditar que nada pode ser feito, tudo que você propõe ele diz, não vai dar certo… O pessimista é acima de tudo alguém que se aproxima do bandido, não por escolha mas por omissão, como diz antiga frase, os ausentes nunca têm razão…

O otimista tem uma encrenca, ele tem que ir atrás juntar, procurar, chorar, se arrepender, querer largar…

Mas o pessimista ele tem uma coisa, ele não tem esforço nenhum a fazer, aliás você já notou que a única coisa que ele faz é sentar e esperar dar errado?

Aí você fala assim: “Mas não tá dando errado”, e ele responde: “Espera que você vai ver.”

O otimista tem que estudar, fazer curso, ir atrás, se arrepender, querer largar, juntar com outro, voltar, repensar, chorar de vez em quando. Mas otimista tem uma grande vantagem, a vida dele não é pequena…

É proibido resmungar, não é proibido discordar, debater, resmungar sim…

Com isso, quando você se for, e você se vai, e eu também, o que vai ficar? Eu tenho certeza, você não quer ser medíocre, nem eu… O que a gente quer? fazer o melhor na condição que a gente tem enquanto a gente não tem condições melhores para fazer melhor ainda.”

Transcrição adaptada do trecho da palestra de Mario Sergio Cortella: Qual é a tua obra. 

Existe um vídeo com mesmo tema no Canal do Cortella, confira!

Mario Sergio Cortella, nascido em Londrina/PR em 05/03/1954, filósofo e escritor, com Mestrado e Doutorado em Educação, professor-titular da PUC-SP, na qual atuou por 35 anos.

É autor de diversos livros nas áreas de educação, filosofia, teologia e motivação e carreira.