Ivan Capelatto em sua palestra no Café Filosófico, fala sobre a importância de se aguentar a angústia do parceiro para manter as relações. Confira abaixo a transcrição do trecho.

Todo início de qualquer relação, seja de amizade, erótica, familiar, romântica etc., é sempre muito bom, pois é narcísico: um namorado, por exemplo, só irá falar de suas qualidades a sua namorada, ocultando os seus problemas domiciliares, até que a namorada toma coragem para contar-lhe alguns de seus problemas obscuros, e o namorado, ainda em sua posição narcísica, acolhe-a.

Todo tipo de relação funciona como um casamento, quando um suporta a angústia do outro, sendo o casamento a parceria mais íntima que pode existir entre os seres. E a mágica para que isso se sustente é que o lado mais forte ouça, nomomento, a parte mais fragilizada sem necessariamente dar conselhos, apenas aguentando que o outro se queixe.

A base da vida é a angústia, e a mágica para que suportemos a vida é que suportemos a angústia. Existem muitas maneiras de suportarmos a angústia, como ouvindo e entendendo. No início de uma relação não há dores de cabeça porque não há intimidade.

A sublimação é a possibilidade de uma pessoa ficar sozinha e fazer algo autodirigível, por exemplo, ela escolhe ser pintora no Canadá. Assim, em vez de ter interações com outras pessoas, essa pessoa pinta, planta, faz esculturas, cuida de animais etc. Essa é outra maneira de vivermos, podendo fazer isso até mesmo dentro de um casamento, quando um dos cônjuges tem hobbies sem a interferência do outro.

Transcrição feita e adaptada pelo Provocações Filosóficas do trecho da palestra: O Casamento Como Fato Afetivo | Ivan Capelatto – Café Filosófico

Confira na íntegra:

Ivan Capelatto é psicólogo clínico e psicoterapeuta de crianças, adolescentes e famílias. fundador do grupo de estudos e pesquisas em autismo e outras psicoses infantis (gepapi), e supervisor do grupo de estudos e pesquisas em psicopatologias da família na infância e adolescência (geic) de cuiabá e londrina.

Mestre em psicologia clínica pela puc-campinas, é professor convidado do the milton h. erickson foundation inc. (phoenix, arizona, usa) e professor do curso de pós-graduação da faculdade de medicina da puc – pr. Autor da obra “diálogos sobre a afetividade – o nosso lugar de cuidar”.