“Todos os filósofos e pensadores têm o dom de nos retirar da nossa zona de conforto, zona esta que nos faz pensar o seguinte: “Ora, parece bom que todos nos amemos”. Essa é uma das grandes utopias do mundo.

E, tal como o Cortella e o Pondé, eu estou um pouco perturbado com as necessidades das pessoas e a sua sensibilidade àquilo que o Pondé define como “geração mimimi”, o que também é um conceito filosófico.

Certa feita, em uma palestra, eu disse que corrupção no Brasil é como herpes, ou seja, ela vai e volta, mas nunca é curada. Recebi a carta de um portador de herpes dizendo que, ao ouvir a minha fala, ficou muito abalado. Eu me desculpei e expliquei que eu não me referi a herpes dele, mas sim à metáfora da doença, que é anterior a ele.

Usando uma expressão que não é minha, mas de um homem mais velho do que eu e muito mais culto (Bauman), que dizia que vivemos em uma liquidez esquizofrênica, recebi a carta de um psiquiatra dizendo que a esquizofrenia não era algo para se brincar, que era um mal terrível, e que eu não poderia usar o termo daquela forma.

Dei uma palestra sobre Heráclito, Sócrates e Tales de Mileto sobre a questão da natureza e recebi um protesto de um coletivo feminista que dizia que eu não havia citado nenhuma pré-socrática mulher. Eu não citei porque eu não conheço, é um limite da minha formação.
Esses são só alguns exemplos, mas eu poderia citar ainda mais. Por que as pessoas estão tão sensíveis? Foi feito crer a todo o mundo que, na democracia, todos seriam lindos, inteligentes e felizes, e nenhuma dessas três coisas, como produto, pode ser entregue.

Cortella citou o livro Cândido, de Voltaire. O personagem Cândido seguia o doutor Pangloss, que dizia que este é o melhor dos mundos. Os otimistas, como Pangloss, como eu e como o Cortella, repetem a frase metafísica do doutor Pangloss de que este é o melhor dos mundos, enquanto o pessimista rebate: “Eu tenho medo que vocês estejam corretos”.

Transcrição feita e adaptada pelo Provocações Filosóficas da palestra: Ética e democracia no Brasil | Cortella, Pondé e Karnal – CPFL Cultura

Confira na integra: