“Vocês sabem que a maioria das pessoas têm uma certa depressão domingo à noite por dois equívocos. É o momento, segundo o meu médico de maior quantidade de ataques cardíacos no Brasil, domingo à noite e segunda de manhã.

Primeiro, equívoco é a sua concepção de trabalho, que pode estar errada, o segundo equívoco diz respeito a não ter feito o que eu queria ter feito no domingo, ter pedido tempo zapeando na televisão ou ficado tempo demais num almoço em família que eu já não gosto mais tanto.

E aí chega domingo à noite esta sensação que estou perdendo minha vida, está passando tempo. Eu posso mudar isso, e eu preciso de momentos, talvez o domingo seja um bom para isso, de ócio criativo, e ócio criativo não é você ficar vendo muita televisão, ócio criativo é esvaziar a mente.

Ócio criativo é ler um livro atentamente, escutar uma música, letra e música, está presente numa conversa, contemplar as flores da primavera que se iniciou, olhar o mar, fazer carinho num filho inteiramente focado nisso, isso é ócio criativo.

Dali a mente se esvazia do trabalho e surgem ideias, e surge uma reorganização da “CPU” cerebral. Ali você faz uma espécie de compactação das memórias e recria espaço no cérebro. Se eu ficar o tempo todo mal com isso, se eu ficar o tempo todo trabalhando, não consigo.”

Transcrição adaptada do trecho da palestra de Leandro Karnal.

Você pode conferir o vídeo abaixo.

Leandro Karnal (São Leopoldo, 1º de fevereiro de 1963) é um historiador brasileiro, atualmente professor da UNICAMP na área de História da América. Foi também curador de diversas exposições, como A Escrita da Memória, em São Paulo, tendo colaborado ainda na elaboração curatorial de museus, como o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo.

Graduado em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos e doutor pela Universidade de São Paulo, Karnal tem publicações sobre o ensino de História, bem como sobre História da América e História das Religiões.

Leandro Karnal nos propõe uma importante reflexão a respeito de como temos aproveitado o nosso tempo livre. “Domingo à noite é o momento de maior quantidade de ataques cardíacos no Brasil”, comenta o professor. Quais serão as causas desse fenômeno?