Imagem por: Divina Fortunato

Olha lá o meu objetivo. O meu sonho. Parece distante, mas a verdade é que eu acho estimulante todo esse desafio que me é posto à frente: divirto-me com a força que descubro a cada dia maior em mim em relação a sentir-me profundamente capaz de realizar todos os meus desejos.

Entretanto, sejamos francos. O caminho para tais conquistas não será fácil. Eventualmente é até desestimulante, e é nessas horas que a dimensão dos seus sonhos é revelada: se estamos tratando de uma paixão muito forte, por mais que o mundo pareça gritar que é impossível, está fora de cogitação desistir ou abandoná-la.

E aí é que está. Eu posso ter incontáveis obstáculos (internos e externos) que dificultam a realização de determinada coisa que eu quero. Mas, se o foco e o interesse são mantidos, eu passo a enxergar com muita clareza todos esses obstáculos e, consequentemente, começo a traçar possíveis saídas para eles. Assim, não importa o tempo, mas provavelmente uma hora eu chegarei lá.

E muitas vezes outras pessoas – diferentes de mim em vários aspectos – podem ter características que facilitariam enormemente os obstáculos que eu quero vencer. Mas a meta, o sonho e o foco dos demais não são os mesmos que os meus.

Por isso, antes de amaldiçoar-se por não ser agraciado por elementos que certamente auxiliariam em suas realizações, lembre-se de que, mais importante que isso, é o autoconhecimento, pois só através dele você consegue traçar caminhos alternativos que te levam onde você quer e, consequentemente, te levam para dentro de você.

É como dizem: mais importante que a chegada é todo o processo.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS





Caroline Fortunato
Autora de "O Lado Real do Abstrato." Nascida com a maldição da Literatura ao mesmo tempo em que salva por ela.