Muitas mães dependentes de drogas, sejam elas licitas como álcool e cigarro, ou ilícitas como drogas mais pesadas, continuam o uso das substâncias durante a gravidez, isso leva a um problema sério no qual os bebês já nasçam também dependentes das drogas.

Todos os dias nascem diversos bebês viciados em drogas. Embora não sejam culpados por ter esta condição, esses pequeninos especiais com síndrome de abstinência neonatal (SAN) vêm ao mundo com necessidades únicas.

Todo um acompanhamento especial é necessário nesses casos, e algo importante é o forte desejo de ser segurados e abraçados quando eles estão passando por sintomas extremamente difíceis da abstinência de drogas.

É neste momento que os voluntários entram em cena. O CDCrelata um acréscimo de 383% nos casos de SAN nas últimas duas décadas. À medida em que os incidentes aumenta, a necessidade de voluntários do abraço também aumentaram.

E você pode se tornar bem importante também na vida desses bebês, grupos compassivos de voluntários estão se reunindo em hospitais de varias partes do mundo. Eles vão ao lado da equipe de enfermagem, que está geralmente sobrecarregada, para ajudar a dar a essas crianças uma melhor chance de sobrevivência e uma qualidade de vida mais decente.

Jane Cavanaugh, uma enfermeira da Pensilvânia, sentiu a necessidade de iniciar um programa de voluntariado para ajudar os bebês que já nascem viciados em drogas. Ela estabeleceu apenas um grupo desse tipo no Hospital Universitário Thomas Jefferson. Cavanaugh explicou para os meios de comunicação que esses bebês precisam de abraços mais longos que os abraços comuns, e também eles precisam de atenção para ficarem mais seguros durante o processo de abstinência.

Líderes de outros programas de voluntários de carinho concordam. O aumento do toque humano pode permitir que esses bebês passem pelo processo de abstinência mais rapidamente sem precisar de muita medicação. Em vez de inconsoláveis e agitados, os bebês viciados em drogas que fazem parte deste programa, tendem a ser mais calmos do que aqueles que não têm acesso a este benefício.

O contato pele-a-pele é parte da ligação natural entre os seres humanos e seus descendentes. Infelizmente, quando um pai é incapaz de suprir essa necessidade humana básica, um recém-nascido pode sofrer. Essa necessidade natural é ainda maior para bebês dependentes de drogas.

Este processo se mostrou bom até mesmo em encurtar o período que o bebê precisa ficar no hospital pós-natal.

Brasil.

Se você quiser ter a chance de ajudar esses bebês em dificuldade a se sentirem mais protegidos, pode haver um programa de carinho em um hospital perto de você. Pois no Brasil, o Ministério da Saúde informou que nos últimos cinco anos o número médio anual de registros de “sintomas de abstinência neonatal de drogas utilizadas pela mãe” foi de 76.

Mulheres dependentes de álcool e seus filhos que nascem com os sintomas de abstinência neonatal pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Ministério da Saúde também cofinancia 2.340 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), especializados em tratamento na área de álcool e outras drogas, e 209 CAPS infanto-juvenis, além de cofinanciar também equipes de profissionais de saúde que atendem a população em situação de rua, inclusive para usuários de álcool, crack e outras drogas.

Exemplos

Tanto os homens quanto as mulheres assumiram este papel na hora se se tornar um voluntário. Um hospital em Atlanta até mesmo tem um voluntário chamado carinhosamente de “Vovô da UTI”. Ele adora ajudar os pais e os funcionários a manter os recém-nascidos confortáveis, Essas pessoas atenciosas realmente merecem o nosso mais profundo respeito e admiração! Suas ações altruístas podem dar aos bebês nascidos com problemas a ter mais esperança para o futuro.

 

Você tem interesse em se tornar um voluntário do carinho? Procure instituições por perto, pesquise por grupos ou você mesmo pode iniciar um  para ajudar a melhorar a vida desses bebês.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS